teste minha imagem
Google+

Dica Nível Básico

Retratos com grande-angular

Canon 6D 1/500s f/8 ISO 500 16-35mm 2.8

Sempre que se fala em retratos, imaginamos fotos que mostram a pessoa do mesmo jeito que ela é vista pelos nossos olhos. Para isso, geralmente, são usadas as lentes 50mm, 85mm ou  comprimentos focais ainda maiores. Mas quando a intenção é realizar um retrato criativo, mais inventivo, artístico ou despretensioso, usar uma lente grande-angular dará uma impressão totalmente diferente.

Essas fotos, feitas com a EF 16-35mm f/2.8 L II da Canon, têm suas áreas periféricas - os cantos da foto - afetadas pela distorção perspectiva. Esse efeito amplia o campo de visão nas margens da foto, mostrando mais do cenário ao redor. Quanto mais próxima a pessoa fica da lente, mais fino e distorcido seu rosto parece e maior é a amplitude do fundo.

Canon 6D 1/250s f/13 ISO 250 16-35mm 2.8

Essa linguagem que as grande-angulares possibilitam aos retratos torna a imagem mais despretensiosa, caindo para um lado mais artístico e menos formal. Esta proposta é muito desejável quando o desejo do fotógrafo for trazer o espectador para dentro da cena, causando uma sensação de intimidade com o fotografado.

Para tirar o maior proveito do efeito de distorção de perspectiva, o ideal é usar linhas que vão da área central até as margens da foto. A sensação de túnel leva a visão diretamente pro centro da imagem, onde está o ponto maior de atenção. Veja o exemplo da foto abaixo.

Canon 6D 1/80s f/4 ISO200 16-35mm 2.8

Outra pose legal para esse tipo de lente é usar partes do corpo do fotografado pra guiar o olhar até o rosto. Na foto abaixo a grande-angular fez os braços parecerem maiores e o caminho que a visão humana percorre na foto fica bem definido.

Um detalhe importante é ficar atento aos enquadramentos usados nos retratos com uma grande-angular. Caso queira dar mais destaque, empoderamento e grandiosidade ao fotografado, uma boa dica é fotografá-lo de baixo para cima. Devido à perspectiva, esse ato dará grandiosidade à pessoa.

Canon 6D 1/80 f/3.2 ISO 200 EF 16-35mm f/2.8

O Contrário também se aplica: caso queira dar um tom mais intimista ou frágil ao fotografado, o ideal é enquadrá-lo de cima para baixo. Isso o tornará menor diante da câmera e trará esse olhar de alguém maior que o enxerga.

Canon 6D 1/60 f5 ISO 160 16-35mm 2.8

Comentários

Deixe seu comentário
Cristhian Satake

Gostei das dicas...tenho certa dificuldade para trabalhar com a lente 17-40!!