teste minha imagem
Google+

Dica Nível Intermediário

Como usar o flash em retratos noturnos

Canon 6D EF 16-35MM F/2.8L II USM 1/25 f/3.5 ISO 1600Câmera: Canon 6D e lente EF 16-35MM F/2.8L II USM
Exposição:1/25s, f/3.5 e ISO 1600

O uso do flash é uma técnica que gera muitas opiniões entre os entusiastas de fotografia. Há quem prefira a luz natural, mas muitos consideram o flash indispensável, principalmente para situações de retratos noturnos.

A verdade é que, se bem usado, o flash pode se transformar o salvador dos seus retratos noturnos, tornando-se quase indispensável nesse caso.

Aliás, seu uso tem várias aplicações: ele pode ajudar a iluminar uma cena muito escura, destacar a pessoa fotografada do cenário ou ainda preencher sombras geradas por luzes do ambiente.

Sim, o flash externo é muito útil, mas geralmente a grande dúvida é: como não “estourar” a luz – excesso de iluminação – usando o flash? Como também trazer informações do fundo para os retratos noturnos com flash?

 Câmera: Canon EOS 6D e lente EF 50MM f/1.4 USM.
Exposição: 1/25s, f/3.2 e ISO 1600

O Speedlite, modelo de flash externo da Canon, possui uma tecnologia chamada TTL – Through The Lens – que calcula a quantidade de luz necessária para iluminar o objeto à frente da lente. Em todo esse processo, milissegundos antes do disparo da foto o TTL executa um pré-flash que, de tão rápido, é invisível aos nossos olhos.

Quando o pré-flash é disparado, a câmera capta através da lente TTL e determina exatamente qual potência o Speedlite usará para iluminar a cena. Não importa o quanto a luz ambiente esteja variando – por exemplo, um show em que a luz acende e apaga várias vezes –, a cada medição o TTL fará a compensação automaticamente para que a exposição fique perfeita.

Ao longo dos tempos, o recurso TTL foi aprimorado nos flashes Canon e o resultado foi uma otimização chamada E-TTL (Evaluative Through The Lens). Esse aprimoramento faz uma leitura da iluminação ambiente, calcula e envia os dados para a câmera. Isso resulta em mais precisão nas fotos, pois, em versões anteriores, com pré-disparos mais evidentes, as pessoas podiam piscar com essa luz do pré-flash e, consequentemente, saíam de olhos fechados nas fotos. Esse problema já não existe mais, mesmo que a pessoa repare intensamente no flash.

Em 2004, a Canon refinou o recurso E-TTL criando o E-TTL II, que desde então está presente nas câmeras e não só nos flashes Canon – fazendo com que o equilíbrio de luz seja muito mais exato e otimizado. Desde sua criação, o E-TTL II é item original em todas as câmeras EOS da Canon.

Ou seja, as fotos nunca ficarão com excesso de luz ou “estouradas”, como dizem no linguajar comum da fotografia. Suas imagens estarão bem equilibradas entre o ambiente e as pessoas fotografadas.

Diversos flashes Canon têm mobilidade em sua cabeça de luz. O Speedlite 270EX II e o Speedlite 320EX são apenas duas de muitas opções que você pode encontrar.

Para ter boa luminosidade em retratos noturnos, geralmente a opção é abrir o diafragma. Mas uma sugestão para não perder profundidade de campo e consequentemente ter mais foco em sua imagem é usar velocidades mais lentas do obturador. Assim, você não perde fundos mais focados e consegue retratos com boa luminosidade.

Não perca mais suas fotos por causa de pouca luz. Leve um flash Speedlite com você. Clique aqui e conheça mais modelos de flash Canon para suas fotos.

 

 

Comentários

Deixe seu comentário
Waldeci de Andrade Ramos

Velocidade 1/25 não poderia dar borrões ou sobra no caso de o assunto se mover? o TTL algumas vezes não congelou o assunto quando deixei muito baixo.

Waldeci, Como muitas vezes nos retratos, as pessoas estão posando para a foto, não há esse risco. Mas caso haja movimento, essa velocidade pode ser trabalhada, desde que a intensidade do flash seja compatível. Obg